Assalto frustrado por intervenção de Munícipes e Guardas Civis

0 582

O Ajuda SP Centro tem dado destaque a covardia e oportunismo dos bandidos que atuam na região central da cidade e, reforçando o que já vem sendo exposto, no dia 22/02, segunda feira, não foi diferente, tendo em vista que um assaltante investiu contra um taxista de 64 anos e subtraiu seu celular, contudo não obteve sucesso na prática delituosa, considerando que houve uma mobilização rápida de munícipes e presença providencial da Guarda Civil Metropolitana.

O fato ocorreu na Rua Guaianases, por volta das 13:30h, o infrator, um homem de 35 anos de idade, subtraiu o celular do taxista de 64 anos e ao empreender fuga foi surpreendido pela testemunha que, indignada, gritou “pega ladrão!”, fez obstrução do caminho mediante luta corporal e conseguiu impedir a fuga do meliante.

A testemunha, um cinegrafista de 71 anos de idade que sentiu uma indignação que o fez ignorar todas suas limitações para esgotar suas forças em prol da detenção do infrator, foi fundamental para o final esperado.

No momento em que o cinegrafista estava em luta corporal com o facínora, apareceu uma equipe da Guarda Civil Metropolitana que realizava policiamento na região, os Guardas Civis Gabriel, Rafael, Luiz Paulo e o encarregado Allissandro, todos da Inspetoria do Bom Retiro, de imediato tomaram ciência do ocorrido e realizaram as buscas, localizaram o celular e, posteriormente, a vítima reconheceu o produto subtraído e o infrator.

Ao perceber que estava em flagrante de delito o ladrão ofereceu resistência, tentou investir contra os agentes, mas foi imobilizado e algemado.

A ousadia do malfeitor não foi um ato isolado, a julgar pelo fato de que já possui um histórico criminal bem extenso, respondeu por roubo e furto, inclusive já perdeu um livramento condicional pela prática de um crime justamente na época em que estava gozando da liberdade sob o compromisso de ser fiel as condições impostas pelo Poder Judiciário, portanto um bandido contumaz!

O caso foi apresentado no 77º DP, no Bairro da Santa Cecília, o Doutor Cristiano de Souza tomou ciência dos fatos, ouviu as partes e realizou o procedimento para reconhecimento do autor da infração e posteriormente, diante das evidências, da tipicidade do ato e do seu convencimento, lavrou o boletim de ocorrência de roubo que resultou na prisão do acusado.

Cumpre-nos observar que apesar da atitude do cinegrafista em não permitir a fuga do bandido ser louvável, não é a mais recomendável por ser extremamente perigosa.

O malfeitor tem direito a ampla defesa e ao contraditório, um direito constitucional que será preservado, mas as evidências devem ser apontadas, ou seja, um frequentador assíduo do fluxo de usuários e que declarou ser morador daquela região, deixa evidenciado que alguns locais apontados como residenciais na verdade estão servindo de esconderijos de meliantes, visto que são perímetros onde ficam imunes as abordagens policiais e ainda contam com “movimentos sociais” que os protegem, um paraíso para indivíduos procurados!

Existe uma feira do rolo, ou melhor, uma “feira do roubo” dentro do fluxo da Cracolândia e que, certamente, motiva os roubos e furtos na região, já passou da hora da Polícia Judiciária tomar providências a respeito dos fortes indícios que há a respeito da atuação de organizações criminosas naquele local.

Tratar crimes de forma isolada não resolve o problema, o Brasil sabe o endereço da organização criminosa no centro de São Paulo, na Alameda Dino Bueno dentro do fluxo de usuários e dentro dos “hotéis” daquela região.

As provas e os flagrantes são produções que cabem as autoridades competentes, portanto:

  • Polícia Civil, precisamos de vocês atuando na Cracolândia, fica aqui o registro de uma denúncia a respeito dos hotéis localizados na Alameda Dino Bueno e Barão de Piracicaba!
  • No dia 22/02 estavam presentes os guardas civis que garantiram a integridade da vítima e da testemunha, mas se a Polícia Judiciária não tomar providências, outros crimes ocorrerão e o risco de morte de pessoas inocentes aumenta.
  • A Defensoria Pública aparece e instala uma base móvel a menos de trinta metros das barracas de venda de drogas, mas quando prestarão socorro aos moradores da região central que sofrem com perturbação do sossego, proliferação de ratos, improbidades administrativas e que vivem praticamente em um campo de guerra?

O Ajuda SP Centro está de olho na atuação de todos os órgãos, sendo assim, só tem tido notoriedade positiva os policiais militares, guardas civis metropolitanos e agentes da limpeza, o restante está devendo a população da região dos bairros Campos Elíseos e Santa Cecília, por não exercerem atos de ofício ou executarem de forma tendenciosa sem o devido respeito a proporcionalidade, isonomia e, principalmente, sem EFICIÊNCIA.

As presenças dos que fazem são noticiadas e as presenças dos que não fazem quando tem obrigação de fazer, denunciadas!

REFERÊNCIAS: BOLETIM DE OCORRÊNCIA-514/2021-77º DP-SP

Ao navegar você concorda que use cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. AceitarLeia mais