Pastor e GCM : E conhecereis a verdade e ela vos libertará!

0 340

Com o advento da internet e das redes sociais as pessoas passaram a ter acesso a informações que em outras décadas eram tratadas como teorias da conspiração, mas hoje aceitas como duras realidades.
Atualmente o grande problema é a falta de “filtro”, ou seja, a capacidade de análises técnicas ou até mesmo científicas por parte das pessoas referente aquilo que é apresentado como verdade, motivo pelo qual há tantas controvérsias, polêmicas, discussões e disseminação de inverdades no mundo virtual.
Definir o significado da palavra verdade parece ser uma tarefa simples, porém sob a ótica da justiça é a razão de existir da Ciência Jurídica, considerando que não há justiça sem a presença da verdade.

Se pelos caminhos da ciência já há grande complexidade para apresentar ou definir uma verdade, a situação fica ainda mais delicada quando adentra as subjetividades da fé, contudo o fato é que a humanidade atingiu uma evolução que pacificou a necessidade da prudência e diligência antes de realizar qualquer julgamento.

O Ajuda SP Centro não é favorável a nenhuma instituição e nem contra ninguém, é imparcial e sempre estará favorável ao que é certo, portanto valoriza provas e transparência, abre questionamentos ao “deixar de fazer” e as acusações que carecem de perspicácia.

Na noite do dia 28/07, terça feira, ocorreu mais um distúrbio na região próxima a Estação Júlio Prestes, no dia seguinte um homem, supostamente o pastor responsável da igreja que realiza trabalhos na rua Helvétia, através de vídeos nas redes sociais, registrou sérias denúncias em desfavor de um agentes da GCM, inclusive com palavras descabidas, haja vista que, em tom pejorativo, chamou o guarda de moleque e, lamentavelmente, também registrou um desafio a pratica de agressão física.

Não há prova cabal do fato, contudo a manifestação de indignação do pastor foi muito infeliz no que tange ao teor das palavras, porém, caso seja elucidado que as narrativas do denunciante são verídicas, certamente o Ajuda SP Centro concorda que haja o fiel cumprimento dos preceitos da lei, mas há outros pontos que merecem atenção.

Sem certezas, urge a necessidade de averiguações que só podem ser instruídas com provas e as versões do denunciante e do acusado, sendo assim, deve ser respeitada a presunção de inocência de um trabalhador que teve seu nome exposto de forma degradante em rede social, uma conduta que viola direitos individuais e que não condiz com a literatura bíblica.

Respeitar processos judiciais, administrativos e direitos individuais também é uma conduta que agrada a Deus, não há que se falar em servidão a Jesus Cristo e promover a rebeldia desprezando as normas, ignorar o sistema, vingar-se através de injúrias e convidar alguém para luta corporal.

Na primeira carta universal de João no capítulo 4, versículo 7 está descrito:

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
Deus é amor, mas é justiça?
Sim, mas não podemos assumir papel de juízes quando a autoridade não nos foi dada.

Se o pastor presenciou uma atitude adversa, injusta, então que sejam abertos os processos pertinentes, mas se ouviu de terceiros, que estes sejam ouvidos e, caso não provem, responsabilizados pelas calúnias ou denunciações caluniosas.

Promover um abaixo assinado “exigindo a exoneração imediata”, além de ser uma demonstração de falta de conhecimento dos procedimentos administrativos da Prefeitura de São Paulo, também descaracteriza o fiel cumprimento da literatura bíblica, visto que ela não incentiva o ódio e nem o desejo pela vingança.
O Pastor Pedro Dong em seu livro “Afinal, o que detém o anticristo?” ensina:

“ É muito importante, na igreja, estabelecermos uma rede de cuidado.
Há diversas ferramentas que o senhor nos deu para formar essa rede de cuidado e amor. Além delas, temos, na igreja, os serviços que cuidam de jovens, adolescentes, crianças, casais. Sim, são ferramentas, mas não podemos confiar que uma ferramenta, por si só, fará o trabalho; precisa haver o labor do amor.” (pág.24).

Faltou o “labor do amor”, afinal acusações em redes sociais, desafios, promessas de vingança com as próprias energias não são atitudes capazes de converter pessoas e nem tampouco promover o evangelho de cristo.

A Constituição Federal também ensina a ter prudência com as palavras:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória
Presunção de inocência!

E o livro de provérbios também ensina a controlar o que sai dos lábios:

Desvia de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios (PV 4:24)

Contrariar a Constituição é falsidade da boca, manifestar o ódio e a vingança é perversidade dos lábios!
O Ajuda SP Centro não está do lado da Guarda Civil Metropolitana e nem de pastores, apenas almeja um país isento de malícias e desonestidades.

Seja sob a ótica da literatura bíblica ou jurídica, não é lícito fazer exposição de pessoas em redes sociais, julgá-las, ofendê-las ou convidá-las a um embate violento.

Se o pastor estiver falando a verdade, merece ser ouvido e os procedimentos serem iniciados, mas parece que ele nem estava no local e está reproduzindo o que disseram a ele, portanto há também indícios de inverdades e manifestações que merecem ser alvo de processo criminal, mas que somente o acusado poderá motivar.

O certo e o justo é esgotar os meios para elucidar verdades, percorrer os caminhos previstos em lei, portanto a atitude do pastor merece correção e repúdio de todos os cidadãos que reverenciam a justiça.
Bater na cara não, mas na alma talvez ajude em algo.
O Ajuda SP fica a disposição para as partes.

Ao navegar você concorda que use cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. AceitarLeia mais